O que cada um de nós pode fazer para ajudar a melhorar a educação financeira no Brasil?

  • . . .
Aprendiz Perguntado em em 30 de setembro de 2019
Estratégias.

Nos educar e influenciar/educar as pessoas mais próximas de nosso círculo social.

em 1 de outubro de 2019.

Convidando um parente a ver alguns vídeos no youtube e explicando sobre como é simples investir.

em 1 de outubro de 2019.

Acredito que incentivar e exemplicar os cases de sucesso do longo prazo.

A Suno poderia produzir um quadro, ou algo em que exemplificasse o que aconteceu com quem investiu 10mil a 10 anos atrás em itausa.

 

Ou mesmo chamar algum investir que tenha alguma posição de 10/20 anos e mostrar sua rentabilidade, acho que isso iria convidar as pessoas a pensarem no longo prazo, o efeito.

em 1 de outubro de 2019.

Demonstrar exemplos práticos da grande diferença de uma carteira bem diversificada x aplicações como poupança, SELIC e Fundos DI

em 1 de outubro de 2019.

Buscar conhecimento SEMPRE, investir SEMPRE e dar o exemplo para os mais próximos. Não adianta reclamarmos do governo ou lamentarmos da vida que temos. Sigamos em frente e outras pessoas nos seguirão.

em 1 de outubro de 2019.
Adicionar Comentário
56 Resposta(s)
  • . . .

    Mude a sí mesmo antes de mudar o mundo.
    Toda transformação começa com pessoas buscando conhecimento e transmitindo esses conhecimentos. Entretanto, o grande diferencial está na forma que será transmitida essas informações.
    Por mais que hoje tenhamos um acesso mais fácil a conteúdos sobre o mercado financeiro na internet, temos que imaginar a seguinte questão: quem está consumindo este conteúdo, como crio interesse nas outras pessoas?
    E acredito que a maioria das pessoas não entram nas redes sociais para ver conteúdo sobre educação financeira, por isso vou consumir conteúdos sobre educação financeira e transmitir este conteúdo o mais tangível e simples possível! Através de palestras nos bairros/ cidades (ou em um pequeno grupo de amigos) com conteúdos que cercam a vida dos brasileiros e que podem ser facilmente compreendidos ex: poupança, taxas de grandes bancos. A partir desse ponto, você desmistifica assuntos sobre educação financeira e tem mais pessoas buscando conteúdo online, e que com certeza vai transmitir para um colega do serviço, que vai chegar em casa e vai conversar com a esposa sobre o assunto tbm, e por ai vai.
    E me coloco a disposição dessa missão, já consegui transmitir o pouco que sei para pessoas no instagram, e agora com esse livro, vou pessoalmente transmitir para 5 amigos, 3 já se interessam pelo assunto (possíveis pessoas que vão levar essa informação de forma simples para outras pessoas) e para 2 que não tem contato algum com educação financeira ( para testar o nível de engajamento e chegar em nosso propósito) e com toda certeza indicar a SUNO para aprender com os melhores.

    Investidor Respondido em 1 de outubro de 2019.
    Adicionar Comentário
    • . . .

      “A boa educação é moeda de ouro. Em toda a parte tem valor.“ A tese de Padre Antônio Vieira exemplifica a necessidade do saber, em todas as áreas da vida. Acontece que, muitas das pessoas, atualmente, possuem a mentalidade de que só é possível ascender socialmente quem possuir um diploma em uma faculdade renomada ou, por pura sorte, ter origem abastada. Contudo, as pessoas com maior poder aquisitivo, felizmente desbancam essa ideia. Walt Disney, por exemplo, veio a falir antes de alcançar todo o poderio que, hoje é reconhecido por toda a parte do planeta. A verdade é que, pessoas com grande poder aquisitivo, multiplicam seu dinheiro de forma passiva, enquanto a maior parte da população, em especial a brasileira, ainda não possui uma mentalidade alinhada com essa ideia, por conta de uma herança familiar, onde os pais sempre apontaram que, o único caminho para ascensão financeira, é pelo tradicional trabalho. Assim, é necessário que, as pessoas venham a disseminar sua ideia sobre finanças, já que, a disponibilidade de conteúdo é proporcional ao número de pessoas em contato com o mesmo. Outrossim, é desejável que as pessoas busquem, por si só, esse conteúdo, alcançando uma mudança de mentalidade e passando essa ideia para os jovens. Assim, a tese de Padre Antônio Vieira irá fazer sentido e,  mais pessoas poderão administrar suas finanças de uma forma melhor.
      Investidor Respondido em 1 de outubro de 2019.
      Adicionar Comentário
      • . . .

        Boa tarde! Sou jovem, 28 anos, já invisto há algum tempo, mas por óbvio gostaria de ter começado antes. Sou servidor público, em um órgão onde a esmagadora maioria é assalariada e previamente condicionada a gastar todo seu salário e contrair empréstimos e quando dá “poupa” alguma coisa que geralmente é para um objetivo, como viagem ou melhorar o seu carro (passivos). Ainda assim é menos doloroso do que quando alguém vem empolgado comentar sobre como sua “possível piramide está dando certo”. E com o pouco tempo que estou lá, sempre mostrei o meu exemplo, que apesar de pouco, pode vir a transformar a minha vida sempre buscando conhecimento, em fontes confiáveis, podemos chegar longe. Em resumo, a resposta sobre o que eu penso  como cada um pode fazer para mudar a melhorar a educação é: influenciar quem esta ao seu redor, seja em casa, família, ambiente de trabalho, academia, não tenho um alcance grande como o website ou o instagram da suno, mas sem dúvida nenhuma faço a minha parte.

        Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
        Adicionar Comentário
        • . . .

          Primeiro passo é mudar a mentalidade do brasileiro, já que ele é o fator primordial para tomar as atitudes que temos no dia a dia. O brasileiro, de forma geral, tem uma mentalidade de acomodação e de que só a educação financeira serve apenas para os ricos.  Agora, se o brasileiro tiver uma mentalidade de disciplina e força de vontade, ele vai almejar grandes obejtivos financeiros, só pelo fato de já ter mudado seu modo de pensar.

          Segundo passo é mostrar ao brasileiro que o tempo é seu maior amigo na jornada para alcançar determinado obejtivo. A pessoa que souber aproveitar cada minuto do seu dia está levando vantagem para a caminhada da tão sonhada independência financeira.

           

          E por último, e não menos importante, é mostrar as pessoas que ganhar dinheiro e alcançar sua independência financeira é um processo a longo prazo e que não é tão facil. Infelizmente, muitos brasileiros não querem se esforçar o suficiente para ganhar dinheiro e acabam querendo fórmulas milagrosas para ganhar dinheiro da noite para o dia. E o pior, muitos deles acabam perdendo dinheiro caindo em golpes de empresas que prometem lucros fáceis e milagrosos. Com isso, é essencial mostrar as pessoas que conseguir muito dinheiro demanda tempo e dedicação.

           

          Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
          Adicionar Comentário
          • . . .

            Acredito que a educação financeira ideal esta mais em como gastar seu dinheiro, do que em saber poupar, historicamente o brasileiro tem cultura consumistas, salvos alguma exceções, mas a resposta não estar em poupar e em sim e saber investir sua riqueza em bons produtos. A cultura imediatistas faz com que as pessoas comprem produtos financeiros com período longo e taxas enormes. E é certo que só irá se reeducar financeiramente quem quer, ou seja conteúdo em mídia de massa terá baixa conversão. Penso que a forma mais assertiva será através de plataformas de rede sociais e/ou de entretenimento onde estarão pessoas afins do assunto e após serem educados financeiramente e aplicar em suas vidas, de certa forma irá influenciar as pessoas no seu meio, ou seja ” A PALAVRA MOVE, MAS O EXEMPLO ARRASTA”, o problema do Brasil é que tem poucas pessoas interessadas no assunto, e impactam pouco indivíduos. Mas ao meu ver o caminho é esse. Influenciar através do exemplo por veículos de mídias ondem vem pessoas interessadas. 
            Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
            Adicionar Comentário
            • . . .

              Conversar sobre o assunto com as pessoas próximas, repassar o conhecimento às crianças desde cedo, divulgar/repassar conteúdos disponíveis para atingir um maior número de pessoas (existe muito conteúdo, inclusive gratuito, de qualidade na internet), cobrar maior transparência das instituições financeiras, de forma a obriga-las a divulgar maiores esclarecimentos sobre os produtos ofertados, assim, ou elas melhoram o produto/serviço ou os clientes buscarão opções melhores (muitas pessoas próximas a mim não fazem idéia do funcionamento dos seus produtos/serviços “empurrados” a elas pelo “seu gerente de banco” e, por esse motivo, fica difícil convence-las de que o produto/serviço é ruim, haja vista não o conhecerem como deveriam), criar grupos (virtuais ou não) para falar sobre finanças, investimentos, banking, produtos interessantes, etc., o que importa é a troca de conhecimento e experiência, e, por último, mas não menos importante, acompanhar e divulgar o conteúdo disponibilizado pela Suno Research (:D)
              Aprendiz Respondido em 30 de setembro de 2019.
              Adicionar Comentário
              • . . .

                Convencer o maior número possível de pessoas de que a poupança não é o melhor investimento mas também alertá-las de que pirâmides financeiras são armadilhas para quem quer ganhar muito dinheiro rápido e devem ser combatidas.

                Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
                Adicionar Comentário
                • . . .

                  Ter muita vontade e amor em difundir um conhecimento tão essencial para todos que é a educação financeira. Mostrar cases de sucesso(até mesmo pessoais) em nossas redes sociais e para pessoa próximas para que assim todos saibam que é possível sair da condição de endividado  e alcançar a independência financeira. Influenciando os que estão a nossa volta, podemos criar uma rede de pessoas que também compartilham o conhecimento e isso pode chegar a uma escala muito maior do que imaginamos. Podemos transformar a forma que o Brasileira pensa sobre dinheiro.

                  Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
                  Adicionar Comentário
                  • . . .

                    Conversar sobre dinheiro! E insistir no assunto. Todo mundo precisa de dinheiro para viver, assim como todos precisam comer. Mas enquanto adoramos debater sobre a melhor churrascaria ou pizzaria, quase ninguém conversa sobre ações, CDB’s ou fundos imobiliários. Quando finanças for um assunto natural no cotidiano brasileiro, mais informação teremos e, consequentemente, mais capacidade de decidirmos sozinhos o que fazer com nosso dinheiro rumo à independência financeira.

                    Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
                    Adicionar Comentário
                    • . . .

                      Bom, vou contar a minha experiência. Como eu estou contribuindo com isso.

                      Eu comecei a investir somente quando me senti seguro. Quando eu tinha noção completa do que estava fazendo com o meu dinheiro, e é difícil conseguir se sentir assim apenas lendo sobre, sem ver números mais concretos sabe… Sem colocar a mão na massa mesmo.

                      Assim, eu gosto de fazer meus aportes e mostrar isso para as pessoas mais próximas. Eu mostro os resultados, positivos e negativos. Tento explicar porque estou fazendo tal investimento. Explico minha estratégia. Com isso as pessoas se sentem com mais confiança pra investir, afinal estão acompanhando os meus resultados. Com números mais concretos.

                      Além disso eu indico canais no youtube, como a Suno, o do Pit, do Primo, da Bea, etc… Afinal, não sou especialista e não sei tudo sobre investimentos, então indicar canais de pessoas que sabem muito do assunto é essencial.

                      Com isso eu já consegui fazer meus país tirarem uma parte do dinheiro da poupança e começarem a investir no tesouro, pouco tempo depois começaram a investir em ações também. As pessoas se sentem mais confiantes quando conseguem ver os resultados. Até mesmo quando a bolsa está caindo, eles conseguem ver isso, e isso acaba preparando um pouco eles para quando a bolsa cair futuramente, eles entendem que é algo normal e não se assustam.

                      Aprendiz Respondido em 1 de outubro de 2019.
                      Adicionar Comentário
                    • Perguntas relacionadas

                    • Disclaimer

                      As respostas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Suno Research. Caso encontre algo que viole os nossos termos de uso, denuncie.

                    • Sua resposta