RE: Carteira Previdenciária: Rentabilidade real x Tesouro Direto

Boa tarde,

Já ouvi que, pensando na carteira previdenciária, é razoável adotar uma rentabilidade real de 5% a 7% a.a, baseado em dados históricos.

Olhando o Tesouro Direto hoje, encontramos opções como:

Tesouro IPCA + 2045: IPCA + 5,82% a.a

Fazendo uma conta grosseira, esse título daria uma rentabilidade real de 4,95% a.a.

A minha dúvida é: olhando a rentabilidade histórica de uma carteira composta por ações, fundos imobiliários e renda fixa com uma rentabilidade real de 5% a.a, não parece um bônus muito pequeno em relação ao título público? O meu raciocínio está correto?

Um abraço,

Guilherme.

stoll Investidor Perguntado em 3 de julho de 2018 em Aposentadoria.
' data-html="true"> Compartilhar
  • Comentário(0)

    Acho razoável pensar em, no mínimo, 8%+ real acima da inflação.

    Eu vi um estudo estes dias. O ibov de 68 até hoje rendeu 6,72% ao ano acima do IGP-DI que historicamente é maior do que o IPCA.

    Leve em conta ainda que é um índice de mercado, cuja metodologia variou ao longo do tempo, e já chegou a incluir empresas de reputação duvidosa, como as empresas do grupo X.

    Um bom stock picking deve ter dado bem mais do que isso.

    E ainda por cima, se as taxas de juros se mantiverem baixas e a inflação controlada, o juro real da renda fixa encolhe e as pessoas migrarão para a renda variável, aumentando a demanda por ações, e consequentemente o spread sobre os índices de preços. Vide países desenvolvidos.

    Faixa Preta Respondido em 5 de julho de 2018.
    ' data-html="true"> Compartilhar
  • Comentário(0)
  • Sua Resposta

    Ao postar sua resposta, você concorda com a política de privacidade e termos do serviço.